Primeiramente, vale lembrar que os cálculos dos indicadores de disponibilidade e confiabilidade são semelhantes em sua fórmula. Neste caso, a diferença é que ao buscar o tempo total de parada, no indicador de confiabilidade, são consideradas apenas as ordens de serviço corretivas.

Também é necessário informar que apenas ordens de serviço com período de parada informados são contabilizadas. Diante disso, as regras apresentadas abaixo valem para o cálculo dos dois indicadores.

Ordens de serviço simultâneas

Denominamos assim, ordens de serviço executadas em paralelo com outras OSs no mesmo equipamento durante o período de cálculo do indicador (30 dias).

Cenário de OSs simultâneas finalizadas

Para fins didáticos, consideramos a data de execução do cálculo sendo 18/06/2021 às 01:00, tendo assim um período de cálculo de 19/05/2021 a 18/06/2021 às 01:00.

Relação de ordens de serviço de determinado equipamento:

Ordem de Serviço

OS 1

OS 2

OS 3

Menor data início de parada

14/05/2021 09:00*

23/05/2021 08:00

28/05/2021 06:00

Maior data fim de de parada

13/06/2021 18:00

16/06/2021 19:00*

01/06/2021 20:00

Representação gráfica das ordens finalizadas dentro do período observado:

Podemos observar que as três ordens de serviço possuem períodos de parada informados, em determinado momento, de forma simultânea, porém isso não prejudica o cálculo do indicador.

O cálculo então considera a data inicio de parada dentro do período de 30 dias da OS 1 (19/05/2021 01:00) com a data de parada fim da OS 2 (16/06/2021 19:00), neste caso os dois extremos. É importante notar que o tempo de parada empregado na OS 3, neste momento, é desconsiderado pois ele já está compreendido entre as OSs 1 e 2 e também o período do dia 14/05/2021 a 19/05/2021 até 01:00 hora para a OS 1 é desconsiderado pois está fora do período de cálculo de 30 dias.

Considerando que o calendário de operação do respectivo equipamento é de 24 horas por 7 dias, teríamos um tempo total de parada de 690 horas. Ao dispor na fórmula do indicador de disponibilidade junto ao tempo total de operação (720 horas) temos o seguinte resultado, ( ( 720-690 ) / 720) x 100 = 4,16 % , encontrando assim um índice de disponibilidade baixíssimo para este equipamento.

Cenários de OSs simultâneas abertas e finalizadas

O cenário de cálculo é semelhante a considerar ordens simultâneas que ainda estão em aberto no período de cálculo. Para estas ordens, a data fim de parada é considerada como a data de execução do cálculo.

Relação de ordens de serviço:

Ordem de Serviço

OS 1

OS 2

OS 3

Menor data inicio de parada

14/05/2021 09:00*

23/05/2021 08:00

28/05/2021 06:00

Maior data fim de de parada

13/06/2021 18:00

18/06/2021 01:00*

01/06/2021 20:00

Representação gráfica das ordens de serviço dentro do período observado:

* representada em amarelo a OS 2 se encontra em aberto.

Desta forma, considerando que o calendário de operação do respectivo equipamento é de 24 horas por 7 dias, teríamos um tempo total de parada de 720 horas. Ao dispor na fórmula do indicador de disponibilidade junto ao tempo total de operação (720 horas) temos o seguinte resultado, ( ( 720 - 720) / 720) x 100 = 0 %, ou seja, podemos observar que em todo o período de cálculo este equipamento não operou resultando em uma percentual zero de disponibilidade.

Desta forma, ressaltamos a importância de manter os dados de parada atualizados para que assim o índice de disponibilidade possa ser sempre atualizado em conformidade.

Encontrou a sua resposta?